Sign in / Join
Header Banner

Dirceu: país precisa de caminho de consenso

“O país está muito tensionado. Foi se introduzindo aqui um ódio, uma violência. O país precisa encontrar uma forma de consenso para retomar uma senda, um caminho do desenvolvimento nacional, da soberania, da diminuição das desigualdades; não um desenvolvimento só para uma classe. Precisamos procurar isso na democracia e evitar os riscos do autoritarismo. Faço um chamamento à resistência, à luta. Não acredito em mudança sem luta social”.
É o que afirma José Dirceu em entrevista ao TUTAMÉIA (acompanhe no vídeo acima). Ex-ministro de Lula, líder estudantil, militante da luta armada e da redemocratização, ele está lançando “Zé Dirceu, Memórias, Volume I”. O livro, editado pela Geração, trata de sua trajetória política, da passagem pelo governo, da cassação no Congresso e dos processos em que foi condenado. “Sou um sobrevivente e vivi muitas fases, muitas lutas, muitas experiências”, diz.
Na conversa, Dirceu, 72, avalia o quadro político e declara: “Sou otimista porque a força do Lula como liderança e a base eleitoral e social que o PT reconquistou me dão esperança. Utopia é esperança. A minha utopia é que o Brasil reencontre o seu caminho. Porque o fio da história do Brasil é outro, não é o desse governo”. E segue:
“O Brasil é o que é hoje por causa do fio da história nacionalista, desenvolvimentista, com a ação do Estado. O mercado gosta do Estado como agência de seguro. O Obama deu o PIB brasileiro para salvar os bancos. Aí pode. Tem que cortar da saúde, da educação, ter teto de gastos, cortar da Previdência. E nada de cortar dos de cima! Eles não vão contribuir com nada? Eles querem que o país aceite isso? Não, não é possível. Vamos chegar num outro ponto; nesse ponto não vai ter acordo”.
Dirceu classifica o atual governo como um “desastre em todos os sentidos para o país”. Primeiro, diz, “apequenou o Brasil no mundo, alinhando-o à política do Departamento de Estado dos EUA”. Além disso, há o ”desmonte das conquistas sociais. A reforma trabalhista vai ter consequências gravíssimas; vai ter luta sindical e popular grande”.


SOCIEDADE VAI SANGRAR
Segundo Dirceu, o protesto dos caminhoneiros foi só um exemplo. “Querem o trabalhador trabalhar um terço a mais e ganhar um terço a menos. Não reduziram os juros, não resolveram problemas de infraestrutura, o tributário. O país vai explodir. Já está explodindo na violência”.
Para ele, o balanço do governo Temer é muito ruim, “pois colocou o pai em risco de tensionamento”. E afirma que, se a resistência ao golpe tivesse sido maior. “Eles iriam dar [o golpe] pela força. É que nós não resistimos”.
Nesse quadro, como será o governo numa eventual vitória do PT? Vai ser possível governar? Dirceu responde: “Governar vai ser uma luta. Não vai ser matar um leão por dia. Vai ser uma guerra. A direita e a centro-direita já mostram que não aceitam uma vitória do PT. Não sei se aceitarão essa. Se perdermos, vamos para a oposição democrática. Nossa prioridade é frente de massas, a organização popular. A sociedade brasileira, infelizmente, vai sangrar. As contradições são muito profundas e eles querem impor à sociedade brasileira um modelo econômico que ela não vai aceitar”.
TINHAM VERGONHA DE CHEGAR PERTO DE MIM
Dirceu concorda com a avaliação de que o PT se burocratizou no poder, o que dificultou a mobilização contra o impeachment e em defesa da democracia. Mas ressalta a “base extraordinária de militante”. Na sua avaliação, “foi essa base que resistiu ao golpe”. E emenda: “Quase que nós levamos o golpe sem resistência e somos humilhados. Nós fomos cuspidos, espancados, nossa bandeira foi rasgada. Fomos expulsos das ruas. E nós retomamos agora. Houve um momento em que parecia que o PT tinha se esvaziado. O que está acontecendo hoje mostra que não só o PT tem uma base eleitoral e social sólida, como tem uma militância muito grande”.
Segundo ele, o partido cometeu erros o que levou ao afastamento de muitos. Hoje, há um retorno. “Voltaram indignados com o golpe e com a condenação e a perseguição a Lula. Indignados pelos caminhos do país. Está acontecendo uma tentativa, uma marcha acelerada para desmonte do pacto social de 1988”.
Ao TUTAMÉIA, Dirceu fala dos processos, das condenações e do fato de ter sido execrado e isolado até por seus pares:
“Ninguém se interessou em ler o processo. O partido não teve uma estratégia de defesa, nem uma avaliação do que era aquilo. Foi simplesmente o seguinte: nós não podemos ficar contra o combate à corrupção, ou então, ‘o problema Zé Dirceu é da Câmara. O Zé Dirceu não pode continuar criando esse problema para nós”.
Dirceu destaca o apoio que obteve da militância e avalia que o caso “foi muito usado para a luta interna no PT”, para liquidar o seu papel no PT. “Foi uma coisa triste, grotesca”. E relata:
“Houve um momento muito duro para mim. Eu fui a uma reunião na sede do PT e fiquei sentado num canto, como se eu nunca tivesse ido a uma reunião no PT. Fui tratado assim por uma parcela grande. Outros tinham vergonha ou medo de chegar perto de mim. Mas é que eu já vim de outras guerras, de outros combates. A minha vida já foi reconstruída do zero várias vezes, não foi só dessa vez. Eu tive também solidariedade e o apoio”.
O PT ERROU NA QUESTÃO DA MÍDIA
Perguntamos sobre um diálogo atribuído a ele, em que, no Planalto, ele teria dito que o PT não precisava construir a sua mídia, pois tinha o apoio da Globo. Dirceu nega essa versão. Fala de tentativas do governo de redistribuir verbas publicitárias, de projetos para o setor. “Os governos dependem de circunstâncias. Houve uma tentativa pessimamente encaminhada. Recuamos na hora errada. O PT errou na questão da mídia. O que estamos assistindo no Brasil é um misto de controle da informação que virou formação. Dão opinião sobre a notícia, sem contraditório, diversidade”. O monopólio ele passa a ser danosos para a sociedade, não para o PT, porque o PT se defende”.
Segundo ele, os erros aconteceram porque havia muitas frentes de problemas. “Era uma avalanche sobre nós. E deixamos os enfrentamentos de lado”. Hoje, ele defende uma “reforma nos meios de comunicação, que não pode ser entendida como censura ou controle”.
GOLPE NORTE-AMERICANO
Perguntamos a Dirceu porque seu livro praticamente ignora a ação estrangeira no golpe de 2016. Houve ação externa? Em alguma medida o golpe foi feito de acordo com interesses norte-americanos? É um golpe norte-americano?
“Foi e é”, responde ele. Fala, então do pré-sal, da Base de Alcântara. E de Forças Armadas: “O país precisa de Forças Armadas de novo tipo. Eu sinto as Forças Armadas escorregando para os norte-americanos, por Lava Jato e para essa coalizão de direita. Existe a questão da intervenção norte-americana, dos interesses estratégicos. O objetivo do golpe era alinhar o Brasil à política dos EUA”. E completa:
“Estou devendo uma análise do golpe. Temos que aprender com nossos erros e não repeti-los”.

Eleonora de Lucena e Rodolfo Lucena

4 comments

  1. luiz francisco da cruz 31 agosto, 2018 at 13:13 Responder

    PARABENS: José Dirceu vc é uma rocha,te admiro juntamente com o LULA,que não desiste nunca,pois é um nordestino arretado:vamos vencer mais está,com fé em Deus.

  2. luiz francisco da cruz 5 setembro, 2018 at 09:56 Responder

    OS 10 MANDAMENTOS DA DIREITA:Vote no bolsonaro,mas não esqueça de comprar dolares,para garantir uma saida para o exterior.2-vote no candidato do mercado(MEIRELES),mas não esqueça que sua residencia oficial é nos EUA.3-Vote no ALckmin e atrase sua vida 20 anos,como f~ez o FHC.4-Vote no Ciro e faça um pacto com o capeta.5-Vote no candidato da globo e contribua com criança esperança;isto é sinal de que pertence a ELITE.6-Contribua com o pastor EDIR MACEDO,pois êle precisa engordar sua conta na suiça.7-Pague mais juros aos banqueiros para sobrar mais dinheiro para aumentar o salário do judiciário.8-Vote no alvaro dias para êle destruir seus direitos previdenciários.9-vote na marina ela vai te dar uma cesta básica mensal,durante 04 anos.10 vote no aécioa vc podera sêr sócio de uma bôca de fumo(ramo aquecido).

  3. luiz francisco da cruz 5 setembro, 2018 at 17:24 Responder

    A DIREITA PERDIDA:Para desespero do PSDB,que mem conseguiu ter um vice ,colocaram uma mulher racista e xenofoba e preconceituosa(vulgo ana do relgo) do RS,não poderia ser pior,só vai tirar voto,pois não pode abrir a boca e só fala besteira.como funcionária de uma empresa particular serve para servir cafezinho.tamanho do desespero da elite que não noção nem para escolher um vice em condições de falar alguma coisa para acrescentar.

  4. maria 16 outubro, 2018 at 11:42 Responder

    Não confirmem a hipótese dos irmaos Gomes. Nos somos da paz e sempre teremos os bracos abertos para os arrependidos. Arrependei-vos. Nosso lema eh a paz, por pior que seja a situação, temos que levar esperança e paz em TODAS nossas mensagens.

Leave a reply